Futebol: Árbitro quis ser a figura da partida

Duelo de “aflitos” sorriu ao Alfenense.

Seria algo impensável que num jogo entre duas equipas que lutam pela manutenção da AF Porto e que foi disputado de forma correcta, obtivesse quatro cartões vermelhos, principalmente tendo sido arbitrado por um dos árbitros mais antigos desta associação.

Prova: Campeonato da Divisão de Honra – AF Porto | 11ª Jornada
Local: 
Parque de Jogos – Manuel Ramos – Arroteia
INFESTA:
Miguel, Soares (Sousa, 46′), Teixeira, André Ribeiro, Estrela, Tiago, Mário (Rafael Rezende, 82′), Lúcio, João (Paiva, 46′), João Rodrigues e Jean (Rui Ferreira, 82′).
Treinador:
Jorginho
Suplentes não utilizados:
João Gomes, Semedo e André Fernandes.

O Infesta entrou muito bem no jogo, embora tenha sido a equipa de Alfena a primeira a criar perigo logo aos 2 minutos por Luís Miguel que de cabeça, atirou à barra, mas na sequência da jogada, o Infesta saiu rápido para o ataque, Lúcio com todo o tempo do mundo, acabou por ser lento e deixou com que um defesa corta-se a bola, quando o golo estava praticamente certo. O Infesta passou a dominar os acontecimentos e João aos 6 minutos, em boa posição, atirou à figura de Pisco. Aos 16 minutos, Tiago é agarrado dentro da área e é assinalada grande penalidade a favor do Infesta, na conversão, Lúcio não perdoou e inaugurou o marcador. Dois minutos depois, o árbitro expulsou o capitão do Alfenense, Fernando, por palavras, ficando a equipa visitante reduzida a dez unidades. O Infesta tinha tudo para vencer a partida, no entanto, a equipa esmoreceu e permitiu que a equipa de Alfena subisse no terreno tendo chegado ao empate aos 33 minutos por Biscoito. Aos 38 minutos, o árbitro da partida passou a ser a figura da partida, pressionado por elementos afectos à equipa forasteira devido à expulsão do seu capitão de equipa, expulsou João Rodrigues por ter, segundo ele, agredido um adversário, ficando as duas equipas a jogar com dez unidades.

Na segunda parte, o Infesta entrou novamente bem, e aos 50 minutos, Lúcio atirou de livre à barra e na recarga, Paiva, acabado de entrar, atirou frouxo e à figura do guarda-redes Pisco. Aos 61 minutos, Teixeira é agredido por Jardel e o árbitro apenas lhe mostrou uma cartolina amarela, o defesa do Infesta dirigiu-se ao auxiliar para lhe mostrar a boca e o árbitro, acabou por expulsar o defesa central do Infesta. A equipa do Alfenense, em superioridade numérica, acabou por dois minutos depois, chegar à vantagem, novamente por Biscoito que numa rápida jogada de contra-ataque, rematou cruzado sem hipóteses de defesa para Miguel. O Infesta ia tentando de várias formas, chegar à área do Alfenense e Jean, aproveitou uma desatenção da defesa para tentar um “chapéu” ao guarda-redes, mas a bola saiu por cima. Já em per+iodo de compensação e depois de expulsarem o capitão do Infesta, André, em mais uma jogada de contra-ataque, Biscoito estabeleceu o resultado final em 1-3 para o Alfenense.

Numa partida que estava a ser bem encaminhada a favor do Infesta, acabou por ser tornar num pesadelo. O árbitro da partida, Carlos Reis, quis tornar-se na figura da partida ao exagerar no capitulo disciplinar que prejudicou o Infesta. Com a derrota, o Infesta volta a cair na linha de água, sendo ultrapassado pelo seu adversário que tinha o mesmo numero de pontos. A equipa desce à 13ª posição e na próxima jornada, desloca-se ao ultimo classificado, Valonguense.

Foto: Carla Ferreira

Deixe um comentário