Futebol: Golo de livre, deu a vitoria aos forasteiros

Oliveira do Douro pouco fez para vencer a partida.

Mais uma derrota pela margem mínima que demonstra que o Infesta tem qualidade mas está com um problema gritante que já se arrasta desde o inicio do campeonato, a finalização. Um golo de livre logo aos 17 minutos, deu a vitoria à equipa de Augusto Mata.

 Substituições: 

– Nuno Barbosa -> João – 45′
– Maia -> Káká – 45′
– Galego -> Pedro Oliveira – 74′
– Amaral -> Sousa – 74′
– João Rodrigues -> André Ribeiro – 89′

Não jogaram: Miguel Ângelo, Ricky.

Treinador: António Formoso

Disciplina: 
Cartões amarelos a Nuno Barbosa (12′), Guido Simões (38′) e Amaral (41′).

Na visita do antigo técnico do Infesta, Augusto Mata, a uma casa que bem conhece, a vitoria sorriu à sua equipa, mas que pouco ou nada fez para merece-la. O jogo começou sem grande história, muito disputado no meio campo e só aos 17 minutos, ocorreu o primeiro lance de perigo que culminou no único golo da partida. Luís de livre em zona frontal, atirou colocado não dando grandes hipóteses de defesa a Zé Pedro. O Infesta reagiu bem e aos 21 minutos, Vitinha responde também de livre em zona frontal, com um remate forte mas que embate na barra da baliza de Faria. Pouco depois, numa jogada pela esquerda de Vitinha, este cruza para a área, Faria antecipa-se a Rivaldo socando a bola que sobra para Maia que remata de primeira mas novamente Faria, responde com uma excelente intervenção para canto. Perto de meia hora de jogo, David Santos ganha um lance em falta a Galego, passa por Simões e fica perante Zé Pedro, mas o guarda-redes do Infesta, esteve em grande nível ao tirar o “pão da boca” ao avançado do Oliveira do Douro.

Na segunda parte, o Infesta esteve mais em cima no jogo e dispôs de oportunidades flagrantes para empatar a partida. No entanto, a equipa do Oliveira do Douro ia fazendo os possíveis e impossíveis para perder tempo. Aos 62 minutos, Amaral desmarca com um passe em profundidade Galego pela esquerda, este cruza tenso para a área onde aparece Rivaldo na zona da marca da grande penalidade a cabecear mas o guarda-redes Faria, opõe-se com uma grande defesa. No minuto seguinte, Pedro Martins cruza da direita para a área onde está Káká que de cabeça, atirou ao lado. A cinco minutos do final, Sousa isola-se na direita, entra na área e perante o guardião forasteiro, atirou com força mas por cima da baliza. O Infesta ficou a reclamar uma grande penalidade aos 91 minutos, quando Sousa cruza na direita e a bola embate no braço de um defesa. Pouco depois, o árbitro não assinalou uma falta sobre André Ribeiro, em zona frontal à baliza de Faria.

O Infesta não merecia a derrota, pois foi superior ao seu adversário. A equipa mantém-se em zona de despromoção com apenas cinco pontos. O árbitro esteve bem durante quase todo o jogo, exceptuando os dois últimos lances da partida onde não assinalou uma grande penalidade clara e uma falta em zona frontal que poderiam dar em golo. Na próxima jornada, o Infesta visita o Lousada.

Deixe um comentário