Futebol: Infesta entrega a lanterna vermelha ao Padroense

Infesta conquistou 12 pontos frente aos mais directos adversários.

Num jogo entre os dois últimos, e já despromovidos, classificados do campeonato, foi o Infesta que levou a melhor, garantindo com a vitoria por 2-1, o 15º lugar, entregando o último posto da tabela ao seu rival e vizinho Padroense.

INFESTA: Isac, Carlos Pinto, Rui Jorge, Tiago Jonas, Pedro Pereira, João Reis, Vitinha I, Tiago Veiga (André Maia, 75′), Vitinha II (Digas, 67′), Bruninho (Ricardinho, 81′) e Magalhães.

O Infesta venceu, mas foi o Padroense que entrou melhor na partida. A equipa de Ferreirinha, teve mais posse de bola e chegou mais vezes ao ataque, porém, poucas foram as oportunidades de inaugurar o marcador. O primeiro remate com algum perigo, aconteceu aos 12 minutos, quando o ex-infestista Gonçalo deixou na direita em João Amaral e este, já dentro  da área, rematou cruzado ao lado da baliza de Isac. O Infesta aos poucos encontrou-se e aos 25 minutos teve a primeira oportunidade por Rui Jorge que de cabeça, remata ao lado após canto marcado da direita por Vitinha I. No minuto seguinte, Chico desmarca Miguel que fica isolado perante Isac, mas a saída aos pés por parte do guarda-redes infestista, foi determinante para que Miguel dê-se um toque com muita força para o lado, na tentativa de desviar a bola do lance, acabando a mesma por sair pela linha de fundo. Aos 31 minutos, Paulinho de livre atira directo com a bola a passar ao lado da baliza de Isac. Oito minutos depois, Armando rasteira o avançado Magalhães dentro da área. O árbitro bem colocado, assinala grande penalidade a favor do Infesta que Vitinha I não desperdiçou, inaugurando o marcador. Aos 42 minutos, uma falha do central Armando, quase dá o segundo golo do Infesta, pois Bruninho acreditou que podia ganhar o lance e de costas para a baliza, remata mas a bola saiu ao lado. Ao intervalo, o Infesta vencia por 1-0.

Na segunda metade, o Padroense entrou novamente melhor e conseguiu chegar mesmo ao golo do empate aos 50 minutos. Num canto batido da esquerda, Gonçalo de cabeça consegue desfeitear o seu antigo companheiro de equipa e empatou a partida. Isac nada podia fazer. O guarda-redes do Infesta esteve em destaque dois minutos depois quando defende com uma palmada para canto, um remate de Dudu à entrada da área. Aos 65 minutos, contra-ataque rápido do Padroense, Miguel pela esquerda, cruza rasteiro para a entrada da área onde aparece Gonçalo que de primeira, atira para mais uma grande defesa de Isac. O Infesta responde pouco depois, Pedro Pereira cruza da esquerda atrasado para Bruninho que amortece com o peito para o recém-entrado Digas, atirar por cima da baliza de Marco. Aos 73 minutos, canto da direita de Vitinha I e Magalhães a aparecer ao segundo poste mas a cabecear ao lado da baliza. Jogada tirada a papel químico três minutos depois mas na baliza contrária, com Areias a cabecear ao lado. Aos 78 minutos, Bruninho cruza da direita, Magalhães falha a emenda de cabeça ao primeiro poste e Vitinha I sozinho, atira de primeira por cima da baliza. Aos 83 minutos, novo canto para o Infesta, a bola cruzada de Vitinha I vai muito chegada ao primeiro poste, o guarda-redes forasteiro, Marco, defende mas deixa cair a bola e Rui Jorge, na emenda, atira muito por cima. Adivinhava-se o golo para qualquer um dos lados e o Padroense esteve perto de o fazer em cima do minuto 90, quando Miguel ganha uma bola pela esquerda na linha de fundo, cruza para o primeiro poste onde está Gonçalo que remata mas Isac, mais uma vez, em grande plano ao fazer a defesa da tarde. O Infesta num rápido ataque, chega ao golo da vitoria. Pedro Pereira cruza da esquerda para a área onde está Vitinha I, este com todo o tempo do mundo, cruza rasteiro para o segundo poste onde aparece Magalhães à boca da baliza, fazendo o golo que dá a vitoria ao Infesta por 2-1.

O Infesta com esta vitoria, soma mais três pontos passando a ter agora, 24, mais 3 que o Padroense. A equipa de José Manuel Ribeiro, vai agora disputar a última jornada em Mirandela, frente a uma equipa que já não tem hipótese matemáticas de subir de divisão pois empatou a três bolas em Fafe. O árbitro da partida, Pedro Campos da A.F.Porto, não esteve à altura do jogo, cometendo erros que prejudicaram ambas as equipas, embora nenhum deles tenha tido influência no resultado final.

Deixe um comentário