Futebol: Infesta não teve “pedalada” para o Chaves

O momento do jogo foi claramente a expulsão de Jorginho e o penalti do 2-0.

Uma derrota por 3-0 que é justa face ao que se passou dentro das quatro linhas. O Chaves é equipa de outro campeonato, com os seus jogadores a serem maioritariamente profissionais e a lutar pela subida de divisão. O Infesta fez o que pôde, mas a expulsão de Jorginho logo a abrir a segunda parte, acabou com o intuito de sair de Chaves com pontos na bagagem.

O Desportivo de Chaves, teve uma entrada muito forte no jogo, assumindo, como lhe competia, o favoritismo da partida. Nos primeiros minutos, Ricardo teve de se aplicar a dois remates dos jogadores flavienses que causaram calafrios à defensiva do Infesta. O Infesta ia defendendo bem, procurando rápidos contra-ataques mas sem criar lances de perigo. Aos 21 minutos, Kuca esteve perto de inaugurar o marcador a favor da equipa da casa ao cabecear por cima, após um cruzamento vindo da direita. Quatro minutos depois, o Chaves inaugura o marcador por Fufuco que ganhou espaço à entrada da área e num remate em jeito, faz o primeiro golo da partida. À passagem da meia hora de jogo, Kuca aproveita uma desatenção da defesa do Infesta e remata, mas muito colocado, acabando por sair ao lado da baliza de Ricardo. O Infesta conseguiu suster a pressão da equipa da casa e aos poucos ia-se acercando da baliza de Paulo Ribeiro, mas até ao intervalo, não criou lances dignos de registo.

Na segunda metade, o treinador José Manuel Ribeiro, coloca em campo o ponta-de-lança Pedro Nuno, num claro sinal de que queria mudar o rumo dos acontecimentos, mas o Chaves entra praticamente a fazer o segundo golo. Aos 47 minutos, num cruzamento de Eder Diez para a área, Kuca preparava-se para cabecear mas Jorginho desvia a bola com a mão e o árbitro, peremptório, assinala grande penalidade a favor do Chaves, expulsando o lateral direito do Infesta. No castigo máximo, Kuca faz o 2-0 para o Chaves. O Infesta a jogar com dez, ficava com a tarefa de somar pontos, muito mais dificultada. A equipa da casa tem nova oportunidade aos 52 minutos por Eder Diez, que numa jogada individual, atira ao lado. No minuto seguinte, o Infesta tem o seu primeiro lance de perigo por intermédio de Digas que rouba a bola a um adversário e remata já em esforço para boa defesa de Paulo Ribeiro. Aos 61 minutos, Nuninho, acabado de entrar, quase faz o terceiro golo do Chaves ao rematar ao poste após passe de um colega. O Chaves faz o terceiro golo aos 66 minutos. Num livre marcado por Álvaro para a área, Kuca atira de cabeça sem hipótese de defesa para Ricardo, bisando assim na partida. No minuto seguinte, Pedro Nuno tem um remate perigoso já dentro da área, mas a bola bate num defensor do Chaves, ficando Pedro Nuno a reclamar uma grande penalidade por pretensa mão do adversário. O Infesta com apenas 10 unidades, ia fazendo o que podia e a equipa da casa, completamente tranquila na partida, tinha mais posse de bola, criando mais lances de perigo para a baliza do Infesta. Nuninho à passagem dos 75 minutos, quase faz o quarto golo mas Jonas dá o “corpo às balas”, passando assim o perigo. Nos últimos minutos, o Infesta equilibrou a contenda mas não conseguiu criar lances perigosos para pelo menos marcar o tento de honra.

Uma derrota que mantém o Infesta na 14ª posição, pois o Padroense e o Joane, também perderam os seus encontros. O árbitro da partida, Daniel Cardoso da A.F.Aveiro, teve pouco trabalho, estando bem durante toda a partida. Na próxima jornada, o Infesta joga novamente fora de portas, na deslocação ao terreno do Tirsense. 

Deixe um comentário