Futebol: Infesta sai da Taça de cabeça erguida

Jogo muito bem disputado, principalmente na segunda parte e no prolongamento.

O Parque de Jogos Manuel Ramos, engalanou-se para assistir a um bom espectáculo de futebol. Apesar de ambas as equipas disputarem a 2ª Divisão B, o Chaves vinha rotulado de favorito mas o Infesta fez-lhe a vida negra, não permitindo aos flavienses, sair de São Mamede de Infesta, com o passaporte para a 2ª eliminatória da Taça de Portugal, de mão beijada.

A primeira parte foi muito combativa, com o jogo disputado muito a meio campo, apesar de o Chaves ter tido mais posse de bola, ambas as equipas tiveram oportunidades para marcar. Primeiro foi o Chaves que num livre da direita, batido por Rui Rainho a meia altura, Isac estava atento, defendendo a bola que ainda embateu no poste. O Infesta na jogada seguinte, tem um livre à entrada da área por Vitinha I, que atira à figura de Paulo Ribeiro. Oliveira teve a mais flagrante oportunidade para o Infesta à passagem da meia hora de jogo quando em jogada individual e importunado por Rui Rainho, atirou muito por cima e pouco antes do intervalo, num cruzamento da direita de Sagna, Rui Jorge com um pequeno toque ao primeiro poste, desvia a bola de Ricardo Teixeira, cedendo pontapé de canto ao Desportivo de Chaves.

A segunda parte foi mais pródiga em ocasiões e aos 50 minutos, Rainho cruza e Ricardo Teixeira atira de cabeça ao lado. Pouco depois, Pedro Nuno num lance idêntico, a cruzamento de Bruninho, atira também de cabeça ao lado. O Chaves, atacava mais e Isac ia tendo muito trabalho. Isac que fez três grandes defesas em todo o encontro, dignas de defesas da tarde, tendo a primeira sido aos 68’ a remate de João Fernandes de fora da área. O Chaves por intermédio de Rainho, ia provocando muito perigo e aos 72’, cruza da esquerda e nem Kuca nem Ricardo Teixeira, chegaram à bola. Aos 79’, Maga entra na área, ganha posição mas remata fraco à baliza do Chaves. E aos 85 minutos, chega finalmente o primeiro golo por Ricardo Chaves que num pontapé acrobático dentro da área, faz a bola passar por cima de Isac, sem qualquer hipótese de defesa. O Infesta, em desvantagem, pressionou e no minuto seguinte, Ely com um remate sensacional à entrada da área, quase faz o golo do empate. Aos 87 minutos, o Chaves fica reduzido a 10 unidades por cotovelada de Ricardo Chaves sobre Pedro Nuno o que originou a que o árbitro Daniel Cardoso, admoesta-se o defesa com um cartão vermelho directo. O golo do empate chegou já em período de compensação, de grande penalidade que castigou a mão na bola de João Fernandes após remate de cabeça de Pedro Nuno. O capitão do Infesta, Vitinha I não desperdiçou e empatou o encontro.

O jogo seguia para prolongamento e foi o Infesta que criou o primeiro lance de perigo que até deu em golo. Magalhães cruza da esquerda e Digas, de cabeça, fez o segundo do Infesta. Com o golo, o Chaves voltou a pressionar e mesmo em cima do intervalo do prolongamento, Isac faz mais uma grande defesa a remate de Kuca, já dentro da área. Na segunda metade e com o Infesta também reduzido a 10 elementos por acumulação de amarelos de Vitinha I, o Chaves chega ao empate aos 112’ por Rui Rainho, o melhor jogador em campo, que de livre, atira para a baliza sem hipóteses de defesa para Isac. Isac ainda salvou o Infesta do terceiro aos 119’ quando defende para a barra um remate de Bruno Magalhães.

Nas grandes penalidades, o Infesta foi mais infeliz com Pedro Nuno, Jorginho e Oliveira a marcar, falhando Rui Jorge, enquanto no Chaves, Rui Rainho, Mário Mendonça, João Fernandes, Sagna e Kuca marcaram.

A vitoria podia pender para qualquer um dos lados, mas o Infesta sai da Taça de cabeça erguida e não foi por falta de empenho dos seus atletas, que o resultado final não foi mais feliz.

O árbitro da partida, Sr. Daniel Cardoso de Aveiro, esteve mal, ao acumular erros que prejudicaram ambas as equipas.

Deixe um comentário