Futebol: Mais um jogo em que tudo correu mal ao Infesta

Relvado do “velhinho” Estádio Abel Alves Figueiredo, estava completamente degradado.

À semelhança de muitos jogos desta temporada, tudo voltou a correr mal ao Infesta. A expulsão de Dany por pretensa falta na grande área, perto do intervalo e o consequente golo, foram determinantes para o desfecho final de um jogo, em que a equipa do Infesta, com a derrota por 2-0, regressa à zona de despromoção.

Os primeiros minutos foram bem disputados por ambas as equipas, mas foi o Tirsense, a primeira a criar perigo logo aos 4 minutos por Queirós, que aparece pela direita solto de marcação e atira para excelente intervenção de Ricardo. A equipa da casa, fazendo valer o seu favoritismo, criava perigo sobretudo de bolas paradas, onde teve a seu favor, vários pontapés de canto consecutivos, mas a defensiva do Infesta, muito bem, ia resolvendo os lances. Aos 23 minutos, o primeiro lance de perigo para o Infesta, Vitinha II cruza da direita para a área e Bruninho, não acreditou que Vilaça falha-se a intercepção, deixou a bola tabelar na sua perna e saiu pela linha de fundo. Aos 34 minutos, contra-ataque do Tirsense, a bola pela esquerda, é cruzada para a área, Jonas corta o lance, a bola sobra para Rafinha que vê Rui André, desmarcado pela direita e este, completamente isolado, atira de primeira mas muito por cima da baliza. Perto do intervalo, veio o caso do jogo. Num lance confuso dentro da área do Infesta, Rafinha parece simular uma queda na área. O árbitro assinala grande penalidade, admoestando Dany com o segundo cartão amarelo, acabando expulso. Na grande penalidade, Pedro Tiba inaugura o marcador, terminando a primeira parte logo de seguida.

Na segunda parte, o Infesta, apesar de estar a jogar com dez elementos, entrou bem, mas a chuva que se foi abatendo sobre o relvado, acabou por prejudicar a equipa de José Manuel Ribeiro, que não conseguia criar lances de bola corrida. Já o Tirsense, habituado a jogar e treinar no seu recinto, conseguiu adaptar-se melhor, jogando um futebol mais directo de bola para a frente. Aos 54 minutos, num passe em profundidade de André Soares, Rui André ganha posição a Rui Jorge, ficando isolado, mas Ricardo, a fazer de libero e a cortar o lance para a linha lateral. Pouco depois, Bruninho consegue ganhar espaço para um remate, mas a bola saiu ao lado da baliza de Leonardo. Aos 63 minutos, canto para o Infesta, Bruninho cruza ao primeiro poste onde aparece Rui Jorge que cabeceia por cima da baliza da equipa da casa. Aos 66 minutos, nova grande penalidade para o Tirsense, o árbitro da partida entende que Bruno Pereira fez falta sobre André Soares, quando na verdade, ambos os jogadores foram à bola, pontapeando a mesma ao mesmo tempo. Na grande penalidade, o guarda-redes Ricardo adivinha o lado para onde Pedro Tiba atirou, defendendo a dois tempos. A 15 minutos do fim, o Infesta passa a jogar com nove unidades, pois Bruninho sai lesionado. O Tirsense, a jogar com mais dois elementos que o Infesta, chega ao segundo golo aos 77 minutos, por Pedro Tiba que a passe de André Soares, domina a bola com o peito e atira de primeira para o golo. Estava sentenciada a vitoria da equipa do Tirsense que poderia ter aumentado ainda mais a vantagem aos 80 minutos por Pedro Tiba que volta a falhar uma grande penalidade cometida sobre Queirós por João Reis. Desta feita, o avançado da equipa da casa, atirou por cima. Até ao final, o resultado não mais se alterou.

Com esta derrota, o Infesta regressa à zona de despromoção, devido ao Joane ter vencido em casa o Padroense. O árbitro da partida, Sérgio Soares da A.F.Porto, esteve mal ao ajuizar a grande penalidade perto do intervalo, assim como a segunda penalidade aos 66 minutos. Na próxima jornada, o Infesta recebe o Varzim.

Deixe um comentário