Futebol: Não deixaram o Infesta ganhar

O capitão Vitinha bem tentou “remar contra a maré”.

O titulo da noticia pode ser duro, mas foi o que se passou no jogo desta tarde de sábado. O Infesta foi muito mais equipa que o Valonguense mas dois penalties claros e um eventual terceiro que ficaram por marcar, ditaram o desfecho final que se verificou.

Substituições: 
– Lúcio -> Pedro Oliveira – 45′
– Ricky -> Sousa – 53′
– Flávio -> Maia – 53′
– Galego -> Sérgio Leita – 83′

Não jogaram: Zé Pedro, Rui Pedro e João Pinto.

Treinador: António Formoso

Disciplina: 
Amarelos a Jorginho aos 37′, Amaral aos 45′, João Rodrigues aos 61′ e André aos 78′. Vermelho por acumulação de amarelos a João Rodrigues aos 94′.

O Infesta saiu do jogo completamente arrasado com o que se passou dentro das quatro linhas, principalmente na primeira parte. Foi claramente a melhor equipa em campo e logo a abrir a partida podia ter chegado ao golo quando Ricky em jogada individual, fintou dois adversários e perante o guarda-redes, atirou para defesa de Meneses. Aos 7 minutos, no primeiro e único lance de ataque do Valonguense, a equipa forasteira chegou ao golo, Medeiros cruzou da direita e ao segundo poste, Bábá de cabeça não perdoou. À passagem do primeiro quarto de hora, surge o primeiro caso do jogo, Ricky surge isolado perante Meneses, este rasteira o avançado infestista, provocando a grande penalidade mas o árbitro fez vista grossa ao lance. O Infesta era a melhor equipa em campo, ao contrário da equipa de Valongo que ia perdendo tempo conforme podia. Aos 29 minutos, mais uma grande penalidade a favor do Infesta ficou por marcar quando Flávio foi carregado pelas costas por um defesa forasteiro. O árbitro, Mário Valente nada assinalou. Perto do intervalo, num lance em que os jogadores do Infesta após um pontapé de canto, tiveram várias oportunidades para marcar, Maia tenta dominar a bola que vem alta e sofre novo empurrão de um defesa, o árbitro mandou seguir. Ao intervalo, o Valonguense estava em vantagem.

A segunda parte, mais do mesmo, o Infesta procurava insistentemente o golo ao contrário do adversário que só defendia e perdia tempo. O árbitro da partida foi muito condescendente com todos estes atrasos, principalmente com a reposição de bola em jogo do guarda-redes Meneses. Aos 67 minutos, Nuno Barbosa ganha posição pela esquerda e remata junto ao poste que obrigou o guarda-redes a defender a dois tempos. Perto do final da partida, o Infesta dispôs de mais duas oportunidades para empatar, primeiro Maia que ganha posição já na área e atira mas o remate sai fraco e já em compensação, após um lance confuso e de insistência do ataque do Infesta, Nuno Barbosa cruza para Maia que de cabeça, atirou por cima. O resultado não mais se alterou.

O resultado foi muito penalizador para o Infesta que foi claramente a melhor equipa em campo. O árbitro da partida, foi muito fraco ao não assinalar duas grandes penalidades evidentes e uma terceira que também não lhe ficaria mal de assinalar, pois já tinha prejudicado o Infesta nas duas anteriores. O Infesta com esta derrota, soma a terceira em outros tantos jogos e continua nos últimos lugares da tabela classificativa. Na próxima jornada, desloca-se até ao terreno do Vila Meã.

Deixe um comentário