Futebol: Quem não marca, arrisca-se a sofrer

Infesta somou a nona derrota no campeonato.

Quem assistiu ao encontro desta tarde entre o Infesta e o Famalicão, fica a ideia que a vitoria poderia cair para qualquer um dos lados, tal o equilíbrio patenteado durante a partida. Infelizmente, sorriu ao Famalicão. A primeira parte, foi com mais ascendente do Famalicão que teve soberanas oportunidades para marcar. Primeiro foi por Ricardo Martins que aos 27 minutos, de livre, coloca o guardião Ricardo à prova, fazendo uma excelente defesa. O Infesta apenas deu sinal de perigo aos 35 minutos por Vitinha II que aparece isolado pela esquerda, coloca-se em posição frontal para rematar, mas permitiu que Palheiras corta-se a bola para canto. Na jogada seguinte, o Famalicão esteve perto de inaugurar o marcador por Chico, que recebe um cruzamento da direita de André Ka, Rui Jorge falha a intercepção e o avançado do Famalicão, atira com perigo, mas ao lado da baliza de Ricardo. No minuto seguinte, jogada rápida pela direita de André Carvalho que passa por um defesa, cruza rasteiro já dentro da área, para a entrada da mesma, onde está Bruno Teixeira que atira rasteiro, muito perto do poste da baliza do Infesta. Aos 40 minutos, a maior oportunidade do Infesta na primeira parte, cruzamento da direita de Jorginho para a área, onde aparece Digas que se antecipa ao defesa mas não consegue dar o melhor desvio à bola. O intervalo chegava com o empate a zero que se ajustava ao que se tinha passado nos primeiros 45 minutos.

Na segunda metade, o Infesta entrou melhor, criando vários lances de perigo. O primeiro logo aos 47 minutos quando numa jogada rápida pela esquerda de Vitinha II, este cruza para a área onde está Digas, liberto de marcação, este, perante a pressão de Palheiras, dá um ligeiro toque na bola para se desviar do defensor, mas na hora “H”, Fina corta o lance. O Infesta era a equipa mais pressionante e mostrava que queria sair do jogo com os três pontos. Aos 56 minutos, Pedro Pereira atira em jeito com a bola a passar rente ao poste da baliza de Paiva. Aos 61 minutos, novamente uma jogada rápida pela esquerda de Vitinha II, este cruza para a grande área onde aparece Bruninho que deu mal o toque na bola, acabando por sair ao lado da baliza. Quem não marca, acaba por sofrer e o Infesta acaba por sofrer o golo a 15 minutos do fim, quando num cruzamento da direita, Chico cabeceia à barra da baliza e a bola sobra para Bruno Teixeira que com o guarda-redes do Infesta sentado, acaba por de cabeça inaugurar o marcador. No único lance de perigo que o Famalicão criou na segunda parte, a equipa forasteira passou para a frente do marcador. O Infesta aos 80 minutos esteve perto de empatar a partida por duas vezes. Primeiro foi Bruninho que isolado pela esquerda e já dentro da área, permite que Pedro Silva corta-se a bola para canto e na marcação do pontapé de canto de Vitinha I, Correia cabeceia na zona de penalti para a baliza, mas o guardião Paiva fez a defesa da tarde.

O Infesta, após a vitoria em Joane, regressa às derrotas. Uma derrota algo injusta por tudo o que o Infesta fez, principalmente na segunda parte. O empate era o resultado mais ajustado. O árbitro da partida, Carlos Dias da A.F.Porto, teve uma actuação de bom nível, estando bem durante toda a partida. O próximo jogo do Infesta é no próximo sábado, em Vila Verde, Braga, frente ao Vilaverdense.

Deixe um comentário