Não houve surpresas nas Aves

Desportivo das Aves foi sempre superior ao Infesta

O Infesta foi eliminado esta tarde da Taça de Portugal, ao perder com o Desportivo das Aves por 4-0, num jogo em que a equipa da casa dominou do principio ao fim, mas que o Infesta, por nunca ter virado a cara à luta, merecia o tento de honra.

O Desportivo das Aves foi sempre superior ao Infesta e desde cedo mostrou que queria resolver o encontro pois nos primeiros 10 minutos do encontro, tal foi a superioridade que a equipa da casa dispôs de cinco pontapés de canto a seu favor. Mas o Infesta foi a primeira equipa a criar perigo quando Maga chegou atrasado a um passe em profundidade de Oliveira, onde Rui Faria chegou primeiro à bola. Apesar de tudo, o Aves só criou o seu primeiro lance de real perigo aos 19 minutos quando a cruzamento de Fonseca para Quinaz, Carlos Pinto consegue cortar a bola para Victor Pádua defender posteriormente. Aos 22 minutos, Quinaz cruza da esquerda para Fonseca que de cabeça, atira ao lado. Mas aos 25 minutos, o Aves chega mesmo ao golo por intermédio de Fonseca que com um toque subtil, após excelente desmarcação de Grosso, inaugura o marcador. O Infesta não virou a cara à luta e aos 30 minutos, Oliveira ganha a bola no meio campo, deixa para Pedro Nuno e este, do grande circulo, tenta fazer o chapéu a Rui Faria que estava atento e não vacilou. Dois minutos depois, o Aves chega ao 2-0 por intermédio de Quinaz que aparece isolado perante Victor Pádua e não perdoa, aumentando o marcador. O Infesta perdia por 2-0, e até ao intervalo, houve duas oportunidades para cada lado. Primeiro foi o Aves por Fonseca que antecipa-se a Carlos Pinto e atira à baliza, mas Victor Pádua esteve bem a defender e depois foi o Infesta que num livre junto à quina da área do lado direito, Vitinha I atira com força junto ao poste direito mas Rui Faria defende.

Na segunda parte, o Infesta tentou inverter o rumo dos acontecimentos e aos 47 minutos, um livre a cerca de 30 metros da baliza a favorecer o Infesta, Vitinha I atira à figura de Rui Faria que soca a bola para a frente, mas não aparece ninguém para a recarga. Depois foi Fonseca que isolado perante Victor Pádua, atira ao lado. Mas aos 53 minutos, o Aves faz o 3-0 por Quinaz que flecte para o meio e atira colocado à baliza do Infesta. Dez minutos volvidos, chega o 4-0 para o Aves por Fonseca, que responde bem de cabeça a um cruzamento da direita de Leandro. Aos 67 minutos, o Aves quase fazia o quinto, quando o recém-entrado Dally, ganha a bola pela esquerda a Carlos Pinto, cruza para a marca de penalri onde Fonseca simula e deixa para Quinaz que isolado, atira por cima. Depois o Infesta controlou o jogo e tentou a todo o custo o tento de honra. Primeiro foi Almeida que aparecia isolado a passe em profundidade de Pedro Pereira, mas Rui Faria consegue-se antecipar e atira para lançamento lateral e depois, em cima do minuto 90, Pedro Pereira de livre atira com força junto ao poste, mas Rui Faria defende para canto.

O jogo chegava ao final, com o Infesta a ser eliminado da Taça de Portugal pelo Desportivo das Aves, que fez jus ao seu estatuto de favorito, não vacilando perante um Infesta que merecia um golo pois nunca virou a cara à luta com o avolumar do resultado. No próximo domingo, o Infesta desloca-se a Alpendurada para o jogo da 6ª jornada do campeonato.

Deixe um comentário